sábado, 24 de julho de 2010

HORIZONTE DESFOCADO.



"Por exemplo, as coisas que faltam neste lugar:
uma enxada para que as mãos não toquem na terra,
um ninho de pardais no canto da relha,
para que um ruído de asas se possa abrigar,
um pedaço de verde no monte que ainda vejo,
por detrás dos prédios que invadem tudo.
Mas se estas coisas estivessem aqui,
também faria falta um copo de água para ver,
através do vidro, um horizonte desfocado;
e ainda os restos de madeira com que,
no inverno, é costume atiçar o fogo
e a imaginação que ele consome.
Como se tudo estivesse no lugar,
pronto para ser usado na data prevista,
sento-me à janela, e fixo a única coisa
que não se move:
o gato, hipnotizado por um olhar
que só ele pressente."
                               ... 
Nuno Júdice - Quotidiano -(Reflexão)- In "Meditação sobre Ruínas"
                               ...
Tela de  Herman Herzog - (1832/1932)
              Pintor Alemão. 

2 comentários:

Ana Cecília Moura disse...

Podemos ver nada além de horizontes desfocados, afinal. A realidade não passa daquilo que desejamos ver.
Tomara que goste do seu novo cantinho. ;)
Aguardando os belos escritos que vêm por aí...
Beijos e afetos,

Ci

Vanessa Souza Moraes disse...

Hmmm, blog novo e promete em forma e conteúdo!

Baterei cartão aqui :D

Beijos.