sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

COISA GRUDENTA.

Mágoa é coisa grudenta
Que não se lava ou dissipa no ar
Apesar das tentativas vãs
Do ser que as carrega no peito
Como tatuagem que em sangue se talhou.

Nos dias de alegria incomum, por onde o riso é farto
Cercado por aqueles que parecem não tê-las
Ao menos não tantas, talvez mais rasas
As grandes no ser magoado
Retornam densas numa nuvem escura
Através do passado que se enforcou
Mas ainda agoniza na ponta da corda.

Tela de Leo Putz - (1869/1940)
Pintor Alemão.

Teresinha Oliveira. 

3 comentários:

Liliane disse...

Que coisa linda!

Adri Lima disse...

Amei,seus textos,me vi em muitos deles!!!
Vim aqui,sem querer por uma pintura que buscava no google,mas estou feliz em te ler!!!
Você escreve com a alma e isso é muito bom!!
beijos
Adriane

Andressa C. disse...

Mas ainda agoniza na ponta da corda.
Uau.