segunda-feira, 6 de agosto de 2012

CRISTAIS.

Tela de Louis Emile Adan - (1839/1937)
Pintor Francês.

A avó gosta de pedras. Desde sempre gostou.
Fez coleção de cristais com mandingas e poderes de luz, quartzos coloridos,  cada cor solução para as travas da vida. Verde para saúde, rosa para amor, negro para afastar mau olhado e inimigo oculto. Roxo para girar a roda dos dias e, nesse giro tudo reverter. O que é mau fica bom, a penúria se vai e a prosperidade chega, o triste se alegra e o feio fica bonito.
Fez ninho para seus ovos de cristal numa cesta de palha e deixou à mão.
Vez ou outra escolhia um e nele mergulhava, tentando desvendar em seus veios e segredos, os milhares de anos ali contidos. 
A paixão de tão mineral e luminosa, calcificou nos olhos da neta e não mais os soltou. Logo, pedra virou água na lágrima que corria pela face da menina que de tanto querer, os ganhou.
Como paixão é fumaça e pedra não pega fogo, perdeu-os um a um, por cantos do não sei onde está.

Tela de Georgios Iakovidis - (1853/1932)
Pintor Grego.

Terê Oliva.

Um comentário:

Malu disse...

Simplesmente encantador.
Meu abraço e carinho ficam por aqui!!!