quarta-feira, 12 de setembro de 2012

NEGRO PACTO PARTIDO.


Tela de John Singer Sargent - (1856/1925)
Pintor Americano nascido em Florença.


Quem tu és, afinal
Estranho homem que nas névoas do meu desejo
Transita nu e se envolve no turbilhão de rendas
Das minhas camisolas velhas?

Ao consumir meu ser
Jamais sacias tuas veias do meu sangue sedentas.
De minha alma a última gota exiges 
Como se algo de mim restasse que já não te fora oferecido
 E por ti desperdiçado como grãos de pó aos ventos.
Meus dons. Sensíveis dons que não atam nó ou dão liga
Mas armam laços de seda como cachos de uvas a cada novo dia
Para que as saboreie ante a sequidão das tuas escolhas.

Doentio molde gerou teu corpo, e corrompeu teu espírito
O artífice que da vida e dos seres só mal intuiu.
Dentro de ti mora uma insânia que, com sofismas gentis
Só o negro e a dor acolhe como reais.

Findou-se a trégua em meu coração rompido.
A arrogância selou teu cavalo alado que partiu em galope
Pelas diagonais das luas findas.
Eu, derrotada
Ofereço às mãos do tempo, lento senhor da verdade
Os pesos em ouro da cega deusa que através dele tudo mede.

Tela de Manuel Nunez (Nasc.1956)
Pintor Chileno Contemporâneo.

Terê Oliva / 2000



Nenhum comentário: