quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O CÂNTICO DOS OSSOS.

Tela de Raimundo de Madrazo Y Garreta - (1841/1925)
Pintor Espanhol.


Nessas noites solitárias
Os ventos trazem o sussurro das almas
Dos ancestrais que escapam do álbum de retratos.
Despem suas roupas, e nus, passeiam sobre as areias
Do passado que brilha na névoa das imagens mortas.

Seus ossos exalam os cânticos que revelam os segredos
Mais bonitos e mais sórdidos.
Na penumbra do quarto que a luz do abajur lilás ameniza
Egos multifacetados analiso sem piedade 
Porque a mim não cabe a  absolvição.

 Tela de Alexei Harlamoff - (1840/1925)
Pintor Russo.


Teresinha Oliveira.

Um comentário:

Maria Rodrigues disse...

Nostálgico e belo.
As noites de solidão trazem muitas recordações.
Beijinhos
Maria