terça-feira, 10 de julho de 2012

BOLINHAS DE SABÃO.

Tela de Charles Joshua Chaplin - (1825/1891)
Pintor Inglês.



A ingenuidade da bolinha de sabão me transporta
A outros tempos, outros mundos
Onde e quando se sorria com todos os dentes
E se andava quarteirões descalça sem dor no pé.


Onde e quando havia portas falantes ao rés da calçada 
"Bom-dia, menina bonita. Como vai pai e mãe?"
"Cuidado com o mar! Mar é traiçoeiro."


Nas janelas translúcidas da bolinha não se vê ainda traições.
Nem o sabão, onde o futuro escorrega e desmancha
Tal qual espuma na secura da areia.


Tela de Valentine Cameron Prinsep - (1838/1904)
Pintor Britânico - (Índia)


Terê Oliva.










Nenhum comentário: