quinta-feira, 8 de agosto de 2013

ACONCHEGO DE LAR


Hoje cedo, ao olhar de manso, percebi a confusa beleza desse canto da minha casa. Nada foi medido. As maçãs esperam seu momento de torta, e o pano de pó aí esquecido uma hora menos preguiçosa para entrar em ação .
Os livros também pacientemente esperam... Há 900 páginas antes de cada um deles. Os bombons de açaí, presente que algum amigo grego me deu no aniversário, mofam. Bombom de açaí ? A originalidade muitas vezes conduz ao erro.
Meu velho São Francisquinho descansa no seu lugar de todo sempre, e de tão sereno, passa despercebido através dos anos em que me acompanha. Os gatos idem. Muitos mais havia na minha coleção, mas as crianças da casa trataram com maestria da super-população felina, quebrando-os pouco a pouco.
De tudo, sem mais pensar, fica uma sensação reconfortante de lar.

Terê Oliva

Nenhum comentário: