terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

RUIVA.

Pintou os cabelos de vermelho
Ruiva
Olho verde bem aberto
Leoa de estrelas e tez.
Fios de juba ao vento
Nas planícies da África que seu sangue não coa
Mas ferveu 

Seduzido pelo Rei.
Recolhe ossos e cacos
Pelo chão da floresta coagulado de tempo.

Na toca os guarda, tesouro de seus apreços.

Sobre a pedra se ergue
Selvagem no mineral há muito abandonado.

Ruge
Ante o silêncio da vastidão sem eco.
Espanta os bichos e faz as águas tremerem
Com as ondas que longe vão e rápido viajam.
Mas o trono está vazio.  
O som se esvai
Entre suas patas que para além caminham.

Telas de Anthony Frederick A. Sandys - (1829/1904)
Pintor Inglês.


Terê Oliva.

Nenhum comentário: