domingo, 5 de maio de 2013

O FASCÍNIO DO NÃO SABIDO


Minha ignorância me fascina.
A angústia que tal me causa é de menor importância
Entretanto, se pavoneia no meu espírito com a cauda da sabedoria.
Se tal me castiga, também me elucida.
Meus sentidos plebeus me bastam para o que não sei, intuir.

Aquilo que não intuo permanece no escuro e mais não posso fazer.
Reconheço em mim mesma um fosso de causas perdidas.

Humilde, desfiro um golpe oblíquo nos meus pensares.
Como imaginar não exige saber
Ponho-me a vagar por outras províncias.

"Artist's Studio - The Critic" (1840)
Alfred Jacob Miller - 1810/1874

Pintor Americano.

Terê Oliva

Nenhum comentário: