quarta-feira, 3 de julho de 2013

PÉS DE AR

Nem as vagas da Criação
Explodiram mais violentas que meus pensamentos
Nessa poesia d'água.
Tal força consome-se, porém, na própria espuma
Antes de chegar à areia.
Assim crespa, cai nos abismos que cercam a terra
Toda terra que piso com meus pés de ar.

Tela de Lu Cong - Pintor americano Contemporâneo.

Terê Oliva

Nenhum comentário: