quinta-feira, 9 de junho de 2011

NÓ DE CABELOS.

Ímpetos me agitam as mãos
Na vontade de pentear teus cabelos
Com pentes de osso e ouro.

Soltar o laço que desafia os ventos e amarra
Meu desejo molhado
 Nos gestos que contenho.

Deslizar os dedos entre eles
-Floresta outonal de castanha textura-
Sugar no teu susto um beijo leve.

Não é assim que te quero
Se é que te quero...
Nó indeciso de minha emoção.

Mas quero o beijo
Ao pentear teus cabelos.

Tela de Andrey Remnev - Pintor Russo
Teresinha de Oliveira.




Um comentário:

Ana Cecília disse...

Mais uma vez teus escritos me lembraram Jung, Clarissa Estés... Arquétipos, mitos. Ao contrário do amigo aí em cima, acho que de maternal esse amor não tem nada... rs