sexta-feira, 18 de novembro de 2011

VIDRAÇA.

Recolher os cacos da vidraça quebrada
Que não veda vendaval ou da chuva protege.

Arear tacho que na abrasão do brilho
Quebra unha e resseca mão no toque.

Varrer os resquícios que se dançou e gargalhou festa
Do chão de pedras em diagonal forrado.

Destruída cabana, tijolos e telhas
Que na tolice do amor de outrora se ergueu.


Tela de Vincenzo Irolli - (1860/1942)
Pintor Italiano.

Teresinha Oliveira / 1996




Um comentário:

Maria disse...

Por vezes temos de recolher os pedaços da nossa alma que se vão quebrando ao longo da vida e o melhor é guardá-los no baú das recordações. Amiga deixei no meu cantinho um obrigado aos Amigos. É um miminho bem simples para agradecer a todos os Amigos que me acompanham pela estrada da vida e para lhes dizer como aprecio e admiro os seus blogs que são tão Especiais.
Bom domingo
Beijinhos
Maria