segunda-feira, 11 de março de 2013

VOAR NA POESIA.

Tela de Konstantin Egorovich Makovsky - (1839/1915)
Pintor Russo.


Quase nua caminha a mulher pela praia 
Com seus trapos de areia e brincos de concha
Na brusca manhã de sol vermelho.
Dormira um sono leve e breve, cercada por seres mágicos
 Que logo evaporaram na realidade do sonho esquecido.
Esgotada de sal, de si mesma sempre sozinha
Abre com mãos de mar o horizonte fora de prumo.

Recolhe o pouco de um velho amor que restou e a linha atravessa
Deixando pegadas no percurso do destino que a conduzem 
Para um reino novo
Onde, num redemoinho de imaginação pinta
Com a tinta que de seus olhos escorrem
-Aquarela de lágrimas-
Uma floresta no tempo esquecida.

Muralha de árvores pacíficas e águas de rio lustral a ocultam
Dos olhares daqueles que nos delírios não creem.
Cata pelo chão galhos e pedras, pedaços de ossos, pelos de quatro patas
Penas de pássaro grande e cor de passarinho.
Com tudo monta, feiticeira quase fada
O ser ao lado do qual se deita, amante.
Assim frouxa, sob a égide da fantasia consumada
Pode enfim se livrar dos grilhões que no exílio a mantém.

Voar na poesia para além do devaneio e pisar no real
É questão de tempo.

Teresinha Oliveira. 

Tela de Émile Auguste Pinchart - (1842/1924)
Pintor Francês.

Teresinha Oliveira.

Nenhum comentário: