domingo, 12 de fevereiro de 2012

VOVÓ:VOVSKY&TETÊ.

Gaetano Bellei - (1857/1922)
Pintor Italiano.

Coisa delicada é amor de avó. 
Porque não é amor de esperar seja lá o que for.
É amor que não deseja. 
Que não tem futuro além de sua própria intensidade e tempo.
 Eugenio Zampighi - (1859/1944)
Pintor Italiano.
Amor de avó é um amor contador de casos e histórias.
 Com voz gutural e gestos largos
Faz os olhinhos brilharem ante fadas e terrores.
Muito melhor fica quando a história é real e nem um suspiro se ouve.

Pierre Joseph Toussaint - (1822/1888)
Pintor Belga.

Amor de avó é um amor cansado 
Sem pernas para correrias, saltos ou malabarismos.
Mesmo lento viaja por todo canto 
De mãos dadas com os pequenos
Para qualquer aventura.

Theodore Gerard - (1829/1895)
Pintor Belga.

Amor de avó é meio cegueta.
Mas vê ao longe o futuro que não verá. 
Giorgios Iakovides - (1853/1932)
Pintor Grego.

Amor de avó é comilão.
Cozinha isso, cozinha aquilo, tempera legumes e  verduras.
Ensina a tomar remédio amargo sem reclamar.

George Smith - (1829/1901)
Pintor Americano.

Amor de avó adora visitas e festa.
Quando chega um, mais um...
Quem sabe a cegonha logo outro trará.

Amalia Lindegren - (1814/1891)
Pintora Sueca.

Amor de avó costura tudo.
Roupa de boneca, meia furada e braço de bichinho que despencou.
Prega olho de outra cor nos amigos de pano que não se pode lavar
Porque só bem sujos conservam cheiro e magia.

Nikolaos Gyzis - (1842/1901)
Pintor Grego.

Amor de avó é envolvente.
Cerca de emoção e carinho nas voltas que a vida dá
Para um lado, para o outro
Cada um que nessa ciranda gira.


Hermann Werner - (1816/1905)
Pintor Alemão.

Amor de avó é confiável.
Sabe guardar segredos e a tudo compreende.
Se torna cúmplice, aliado, companheiro
Seja lá para qual crime for...
Até falar palavrão, tirar nota baixa ou bater no irmão.


George Hillyard Swinstead - (1860/1926)
Pintor Britânico.

Amor de avó é sorridente.
Não precisa de brinquedo ou motivo.
Basta um velho balanço no quintal para sentar
Olhar o céu e, no aveludado ritmo
Agradecer a benção de ter vivido para tal.




Teresinha Oliveira.

Um comentário:

Ana Cecília disse...

Que delicadeza!... Amor de avó é tudo isso e muito mais. Há o "indizível", aquilo que se sente e não há palavras pra expressar. Ly e Manu são muito felizes por terem alguém tão especial e que as ama tanto! E a reciprocidade vem a galope.

Que texto! Que pinturas! A-do-rei. Depois mostro para a pequena.

Ci