sábado, 28 de maio de 2011

IRMÃS SIAMESAS.

   Atenção poetas e escritores! Os de verdade e aqueles que o julgam ser, os que apenas brincam, os que tentam, os que simplesmente rabiscam versos por dentro de si não contê-los...
   Não façam isso com as indefesas palavras; elas não tem pernas para fugir do papel e se esconderem até essa febre, esse modismo passar. 
   Deve ser estilo psicanalítico esse jeito moderno de pegar a pobre coitada e vesti-la com parênteses, tornando-a outra, novo vocábulo a revelar um conceito até então não existente. Já me contaram que Lacan assim muito escrevia, mas Lacan era genial, e aos gênios tudo se permite. Idêntica liberdade e beleza se admira em Guimarães Rosa, que trançava suas palavas em uma originalidade que só a ele pertencia.
   Não passa de imitação ver destino e desatino se mesclando em des(a)tino. Significativas palavras que  grudam, irmãs siamesas para sempre no texto,ou esquizofrenicas em surto se tornam, gritando uma com a outra no espelho da página.
   Isso mais parece um Jogo de Palavras, e realmente não passa de um jogo, como esses que se imprimem nos jornais, onde com algumas letras, sem pular nem repetir, temos que formar o maior número possível de palavras. Divertida brincadeira com a qual já brinquei, mas desisti ao descobrir que nunca sairia vencedora, já que a solução com as inumeráveis palavras do jornal era obra de um computador.            
Covardia contra minha cabeça que consumia tempo e neurônios revirando do avesso meu vocabulário. Só quem vence computador é mestre enxadrista russo, e dos bons.
Como moda é questão de gosto e melancia no pescoço usa quem quer, permaneço alheia a esses modernismos sabendo que tudo vai passar, e logo ficará tão ultrapassado quanto rimar amor com dor.

                 Tela de Georgios  Iakovidis - (1853/1932)
                                               Pintor grego
                         'Girl Reading'  (1882)  Óleo  (60x45 cm)
                       
                                    Teresinha Oliveira.
                                              


6 comentários:

Malu disse...

Este blog é mesmo um luxo só!!!
Eu amo as imagens que aqui encontro. Tudo de muito bom gosto.
O poema que viu em meu blog é do EXPEDITO ( BLOG DO PROFEX). Ele fez em homenagem a mim, pois é meu marido querido.
Grata pela sua linda visita, menina e um bom começo de semana!!!
Beijinhos

Jorge Sader Filho disse...

Jogar xadrez contra o computador foi idéia da IBM para chamar a atenção do seu Deep Blue, que venceu o campeão mundial Kasparov usando variantes usadas pelo próprio adversário.
Quanto à melancia pendurada no pescoço, muitos usam. No Brasil e fora dele.

Carinho,
Jorge

Andressa disse...

você é demais.

Cynthia disse...

Oi Leonina, rsrs
Minha linda projeção astral.
Aprendo muito com esse arquétipo. Obrigada por passar aqui, bjs Cynthia

Catia Bosso disse...

Que legal as coisas que leio aqui, só sendo tu mesmo!
Grata!

bj

Catita

Liliane disse...

Ai, como é sempre bom passar por aqui...
Não existe viagem perdida.
Beijos!
Liliane