domingo, 13 de março de 2011

RÓSEA ROSE.

 Rose.
Rosa carmim
 Vermelha de fibra.
 Rubra nas guerras do tanto querer
 Vestindo suave escarlate
 Na fragilidade do caule
Com espinhos, degraus.

Rosa Rose.
 Com os cabelos floridos
Espalhados de brisa
 A buscar em seus dias
 Toda verdade capaz
 De adubar sua terra.
E fazer abrir botão
Flor de orvalho molhada
A exibir nua
Beleza que o nome já diz.

 Rose Rosa.
Que de pálida nada tem
Mas ostenta na face, convencida
O êxtase de saber
Da certeira felicidade além
Dos limites de pedras
Que a cercam jardim.

Rósea Rose Cor-de-Rosa
De viço enfeitada espera
Jardineiro ou florista
Que de qualquer flor entenda
A chegar de manhãzinha
Com ferramentas armado
De amor enluvado
Para enfim a colher.

♥ Para Rose, e seu lindo jardineiro que de tão longe veio.

Tela de George Elgar Hicks - (1824/1914)
Pintor Inglês.

Teresinha Oliveira.

Um comentário:

Ana Cecília disse...

Delicado como a moça que o inspirou. Envie para ela, irá adorar!