sexta-feira, 11 de março de 2011

SUA VAIDADE É SUJA→ BLOG REMINISCENTIA.


  Passei por lá e comecei a ler, a ler e ler. E me vejo colhendo frutas, cada qual mais doce,e mesmo dos textos ácidos escorre-me um sumo prazerozo pelo canto da boca. Ou então pego flores, quando os escritores suavizam e me deixam respirar melhor. 
    Sempre volto com minha cesta transbordando.
  Escolhi essa mocinha acima para enfeitar o recado, porque o Kundera revolveu terrenos movediços, e a alegria sempre é uma corda confiável para se escapar deles.
  Pobre bruxinha sem espelho! Ela quase crê no que o Senhor Mago, de mente estropiada, lhe conta das coisas do reino e cercanias; mas sábia, graças à convivência com alguns filósofos que por lá filosofaram, encontra uma passagem secreta nesse castelo em ruínas e se esconde.
  Ele,seguro do poder da miséria e da infelicidade que o sustentam, e que espalha em rosa dos ventos por seus domínios para garantir o cetro e o trono de pés quebrados, prossegue irredutível nesse território de espinhos.
  Quem escapa rindo dessa história é o Bobo da Corte, que tudo vê e compreende, e sai saltitando pelos quartos por não restar nada mais a fazer.

                        Teresinha Oliveira.

3 comentários:

Andressa disse...

"e sai saltitando pelos quartos por não restar NADA mais a FAZER".

no desespero, deveriam fazer o mesmo.

Teresinha Oliveira disse...

E assim o fizeram...mas sem o desespero,apenas com a calma do inevitável.

Ana Cecília disse...

Escorrer prazer dos textos ácidos? Ô masoquismo! rs
Brincadeiras à parte, o dom de extrair beleza da miséria (cotidiana, afetiva, financeira) é para poucos.
A alegria é mesmo uma arma contra a dor, embora "vezenquando" não consiga dar conta do recado. Concordo qdo o Carpinejar diz que "a alegria emburrece". Prefiro a escrita doída, os filmes analisáveis, os papos-cabeça.

Esperto mesmo, é claro, é o Bobo da Corte, pq descobriu a tempo que a fantasia sim é território seguro (?) contra o "território de espinhos".

Que imagem!...