domingo, 24 de abril de 2011

BUQUÊ DE JARDIM.

Um buquê de jasmins ou miosótis azuis lá da Ásia
Flores bobas que em canteiro qualquer nascem pródigas
Queria ganhar nessa manhã de Páscoa.
Pedaço de domingo quieto roubado do todo
Onde coelhos logo saltarão.

Manhã com alegria de ovo chocado
Sem morro de terra a subir, já cumprida a promessa.
Pespontar agora a minha, cruz velada, só a mim compete.

Terna Páscoa, onde chegam cedinho
Beija- flores piando aviso com seu canto esquisito  
Que as flores vermelhas abriram sob as janelas da sala de jantar.

Eu, com lupa a mirar dois séculos atrás, desejo
O mimo, no despertar logo querido.
Sem chocolate, por já haver saboreado no frio tanto.
Só o buquê delicado, como delicada minha alma agora está
Ao sol, em silêncio e vã reflexão, nessa manhã de domingo.

Tela de Ada Breedveld - Pintora Holandesa.
Teresinha Oliveira.





2 comentários:

Andressa disse...

Depois de tantos ovos, vou ficar mais gorda do que a moça da pintura.

Um ótimo dia pra você, querida!
Vou lá pegar mais chocolate e psicodelia com o coelho da Alice, depois volto pra cá.

Elem Rosa disse...

Quanta vida renascida em cada canto desse jardim de poesia!
Lindo domingo para você Terezinha.
Beijo.