terça-feira, 12 de abril de 2011

FELICIDADE - LACAN - BLOG REMINISCENTIA

   Você, Dona Ana, sempre me surpreende. Lê muito, sábia um pouquinho mais se torna a cada dia e capítulo, cita autores de quem jamais ouvi falar, desconhece os meus, não gosta dos meus filmes, me enlouquece com palavras moderninhas que nem ao dicionário chegaram ainda, e que tento guardar na memória para que, quando repeti-las eu saber do que está falando, joga meu Deus para escanteio e no fim de tudo ainda se apaixona por Lacan.
Já engoli o Schopenhaer e seu mau humor nas minhas juvenis aulas de filosofia, discuti com quem conferia genialidade ao Nelson Rodrigues e seus amores sem cabresto e até, assisti ao Tropa de Elite. Não gostei, mas fui conferir. 
Então só me resta lhe convidar para um almoço. Quem sabe entre a entrada e a sobremesa você me leve a entender que raio de felicidade é essa?
Ou ser feliz é não desejar sê-lo?

Tela de Oxana Yambykh - Pintora Russa.

Teresinha de Oliveira


7 comentários:

AFRICA EM POESIA disse...

TERESINHa

Lindo o teu post..
100.000...
Maracaná...
Emoção...
Força...
Amor...
Só quem senta...
Naquelas cadeiras...
E olha o estádio...
sabe a sensação...
E a Magia...
Que eu já senti...
Eu sei..
Porque estive lá...

para ti minha amiga um beijo grande e obrigada por estares aqui...

JasonJr. disse...

Ela tem uma chave na mão?

Andressa disse...

Comigo ser feliz é desejar por demais, sê-lo.
Nem gosto daquela coisa de pensamento positivo mas depois do fds, poxa vida, num é que dá certo, às vezes?

Teresinha Oliveira disse...

África- A imagem do Maracanã sempre funciona. 50.000 pessoas-metade do Maracanã cheio- Tomara que de flamenguistas :•)

Teresinha Oliveira disse...

JASON- A garota é 'ixperta', como você diz. Filha que carrega um grande chaveiro, mas a chave sempre emperra.

Teresinha Oliveira disse...

ANDRESSA- Corre mesmo. Às vezes, num dia de sorte, alcançamos esse bicho esguio, a tal felicidade.

Ana Cecília disse...

Chave emperrada? Hummm, bela metáfora! Triste, como todas as coisas belas devem ser.

Como já lhe disse, não há "entendimento" em Lacan, apenas "encantamento". E repito o que leio para ti a fim de - quem sabe? - tentar entender também um dia! rs

O "grande mestre" aqui é vc! Sou eu que me pego suspirante e invejosa diante de teus escritos e colocações. A mim, que resta? Lançar mão das palavras de outrem para dar cabo da minha vã - e tão pequena! - filosofia! ahahahah

Amor,

Ci