sábado, 16 de abril de 2011

CANTIGA ♪

Na voz tenta destino
  Romã rosada, madura de caroços cheia.
Nas fímbrias da alma deseja
Além de tudo mais e apenas
Cantar.
Quando ninguém há em volta
Sossego de gente distante, girada chave
Brotam melodias nas suas cordas de renda e ela canta.
Pássara...
Canta pelo inato prazer de cantar.
Como se as notas fossem par, coquetes dançarinas
Que à revelia de sua vontade conduzem
No passo agudo ângulo e rastejante grave
Para o esconderijo
Lugar seu, só de música habitado.
Ela, intui na cantiga a solução de si mesma
E vasculha no verso, no tom, o vibrato perfeito
Que rasgue as mordaças que a vida impõe
Angustiada garganta muda.
Teimosa contralto vasculha na noite
O palco, Terra Prometida
Onde o néctar seja abundante em gotas de som
E canções de amor.

Tela de Irene Sheri - Pintora Ucraniana
Teresinha Oliveira.





Um comentário:

Andressa disse...

O palco, Terra Prometida.