sábado, 23 de abril de 2011

POESIA § EROTISMO § LINGUAGEM - BLOG REMINISCENTIA


   Venho aqui novamente, bater à sua porta e esperar o convite para um café, ou quem sabe num carinho maior, para uma taça desses seus vinhos escolhidos com cuidado de safra e uva, com notas de madeira, de minerais, de frutas, até de samambaia que só maluco enólogo imagina.
   Mas com café ou vinho brindemos às palavras. Às nossas amadas palavras
Tin-Tin.                                                    
   É difícil explicar esse amor à Língua: o encantamento diante de uma metáfora, a reverência que se faz a um poeta, o prazer que se tem ao grifar um texto relevante que não se quer perder de vista, até o gostar simples do pobre trema, que coitadinho, foi considerado inútil e jogado no lixo.
   Esses sentimentos nem todos compreendem. Não possuem eles uma palavra preferida e outra rejeitada que excluem do seu vocabulário e texto. Amor e ódio também resistem no dicionário desses amantes incomuns, e parecem meio loucos escritores e poetas caçadores de palavras, que esperam a borboleta pousar no verso, na página em branco.
   Me contou o Leminski, através de você, que a poesia é a erotização da linguagem, o prazer, e até acordou o titio Freud do seu sono eterno para embasar sua teoria. 
   Talvez seja, como também a prosa  possa ser  vida real.
   No acervo amoroso  das palavras isso não muito importa, pois nem mesmo sabemos ao certo porque as amamos, como todo amor assim se dá.

             Tela de Julius Rolshoven - (1858/1930)
                        Pintor Americano.
                       Teresinha Oliveira.
   



























Nenhum comentário: