sexta-feira, 29 de julho de 2011

DESCOMPASSADO - BLOG REMINISCENTIA.

Mais uma vez me vejo obrigada a te encontrar fora das paredes do teu Blog.
Continuo sem entender porque escolheste essa vida reclusa, meio eremita, que prefere o silêncio aos comentários alheios.
Respeitando tua vontade que me tolhe o espaço, comento aqui, nessa minha casa desarrumada, o "teu" DESCOMPASSADO.
Amor é sentimento que ocupa muito espaço e quase sempre dói. Cada um tem o seu, com perfil e medida própria, e não pode simplesmente ser trocado quando a escolha se revela frágil.
 Assume-se o risco ao alojar uma paixão no peito.
O outro, que descompassa ao ser abandonado, merece compreensão, pois a realidade perde o sentido quando se é ferido como bicho por essa seta de desamor que atordoa.
 Ninguém suporta não ser amado. É ilógico! 
Para amenizar a dor e cerzir os ferimentos, melhor mesmo é se esconder numa caverna ou fechar as janelas da alcova, e só voltar à rotina com a desilusão já serenada. 
Esse amante, bravo sobrevivente que carregará para sempre a cicatriz da perda, não a exibirá além dos limites do próprio espelho.
Tal decisão não suprime a tristeza nem fortalece para o próximo sobressalto, se de verdade for o amor, mas mantém na face a máscara necessária para o dia do novamente.

Tela de Elihu Vedder - (1836/1923)
Pintor Simbolista Americano.

Teresinha Oliveira.

Nenhum comentário: