sábado, 23 de julho de 2011

À DERIVA.

Meu amor, me perdoa.
Sem rotas a cursar
Não tens mais em tuas mãos
O leme da minha vida.

Não quero mais te acompanhar.
É teu o timão destino
- Escura lua guia -

À mim sobram dunas, praias.
A fúria das paixões que vibram
No açoite da noite a me lanhar
As costas, as coxas
De ternura profundos cortes.

Meu desejo, livre do vulto teu
Mira as cadentes
E aprisiona nas mãos
Minúsculo sonho, possível enfim.

Não mais a maré indecisa
Que nunca enche para me fartar
Do sal da água
Do arrepio que o frio traz.

Parada na pedra da beira
Com vestido estampado
Em flores dos laranjais
Espero.
Quieta espero
Com o sonho guardado na palma da mão.

Tela de John McGhie - (1867/1952)
Pintor Escocês

Teresinha Oliveira.

2 comentários:

Andressa disse...

Com o sonho guardado na palma da mão.

JasonJr. disse...

Eu adorei este e do cima!
...e lá "minha doidera" é assim mesmo, aquele "tópico ou titulo" eu gosto de postar as coisas mais...