quinta-feira, 28 de julho de 2011

VISÃO DE LAMPARINA


Meucaminhos eu mesma desencontro e neles me lanho entre fomes e frio.
Perco-me e tateando às cegas, sigo o instinto de bicho arisco que rejeita o afago
Das mãos indiferentes que no gesto raso movem-se sem convicção.
As escolhas de granito ou névoa, só a mim competem como ser e labirinto.
Não venhas tu, pretenso juiz de barba mal feita e corvos pousados nos ombros
No paroxismo das verdades cruas
Ensinar-me o percurso correto ante teus olhos míopes
De visão turvos
Que vagueiam em lamparinas crendo ser faróis.

Tela de George Tooker -1920/2011- Pintor Americano.

Terê Oliva
http://tereoliva.blogspot.com.br

Nenhum comentário: