sábado, 2 de julho de 2011

ESCONDERIJO


Onde se esconde meu amor
 Homem de músculos ágeis e olhos de bicho
Aquele que joga pôquer na noite-dia
 Das vielas o dono, das alcovas senhor feudal?

Onde se esconde meu lascivo amante
Com camisa em nódoas de batom adúltero
Aquele de olhar deslizante que lê sem pausas
No tremor do meu corpo a úmida paixão?

Onde se esconde o menino, doce coroinha
Que tocava sinos e na fumaça do incenso se curvava
Aquele que perdão pedia pelo naco do fruto proibido
E no Graal bebia a fonte do gozo da vida?

Por qual trilha se perdeu de mim
Esse tolo com nome de santo e mãos de bandido
Que amor me finge quando sem moedas para o pagar?


Tela de Ambrogio Antonio Alciati.
(1878/1929)
Pintor Italiano.

Teresinha Oliveira.















3 comentários:

Maria disse...

Amiga lindíssimo poema. Espero que encontre o que procura!
Bom domingo e uma excelente semana.
Beijinhos
Maria

Organização disse...

Terezinha seu poema me fez lembrar de uma teoria há muito tempo esquecida! Acho que a mulher deseja um homem que represente o amante viril, dominador e até cruel! E que represente, também, o menino belo, sim pq o amante não precisa ser belo tem que ser "Homi", e puro.
Voltando a teoria, como disse certe vez para minha preta, acho que o homem perfeito deve ter dois lados! Um Viniciano, ultra amoroso, apaixonado, louco pela sua donzela! E um lado Rodriguiano, sujo, viril,dominador e transgressor, capaz das maiores loucuras pelor amor (sexo)... Acho que comentei isso uma vez com o Xándo rs...

Organização disse...

Esqueci de coloar meu nome! rs Alan!