terça-feira, 16 de agosto de 2011

DOM FRÁGIL


A honra não é um dom frágil
Apesar dos modernos tempos
Por onde os capitais pecados
Fugiram do calabouço e passeiam
Tentadores, nas mãos dos homens.

A minha, moleca, sobrevive por costume
Apesar do meu sorriso de esgar.
Não me leva a sério, nem eu a ela.
Há muito tento quebrá-la
Ou escondê-la debaixo da cama.

Por tal presença e sussurro
Num piscar de consciência entre teias
Perdi, talvez, meus decisivos momentos.

Tela de Iva Hüttnerová - (1948)
Pintora e Ilustradora Tcheca.

Terê Oliva
http://tereoliva.blogspot.com.br



2 comentários:

Andressa C. disse...

adorei, pra variar :)

Maria disse...

Excelente como sempre! Sim a honra não é um dom frágil mas infelizmente hoje em dia está cada vez mais a desaparecer.
Beijinhos
Maria