segunda-feira, 1 de agosto de 2011

VERSOS DE MIM


Não consigo mais falar
Nada de mim lá de dentro
De dentro de onde moro
Lá dentro
Bem dentro de mim
Onde desde sempre moro.

Só no verso habito
É nele que me mostro inteira
Nua de medo, de pejo
De réplica.
Nua em espantos
Diante do espelho do verso.

Nele sou eu, mais ninguém
Suposta mulher
Que ao acaso, cá fora
Exibe-se, rocha ou flor
Camuflada no mesmo que sou
Talvez no que jamais serei.

Transpiro em meus versos
Sem métrica, sem rimas
Sem desejo de ser mais do que são
Apenas versos...
Lá de dentro
De onde moro.

Tela de Elisabeth Louise Vigée Le Brun - 1755/1842
Pintora Francesa
* Considerada por muitos a maior pintora do século *

Terê Oliva
http://tereoliva.blogspot.com.br

2 comentários:

Andressa disse...

E onde é lá dentro? Tem flores?

Liliane disse...

10, nota 10!
Peraí que vou ler de novo ... pela 5ª vez ... :)