quinta-feira, 4 de agosto de 2011

UÍSQUE E GIN

Um vulcão quieto, sem perceber rondo
Nos trezentos e sessenta graus
 De uma circunferência sem raios medidos
Ao dançar com a estonteante lua
Sob céus que me encharcam de música e gin.

O uísque velho e vazio, há muito acabou
Quando em incessantes erupções, enlouqueci.
Algum sentimento vago me lava os olhos
Nas lágrimas de álcool e saturada razão.

As palavras em esgar ardem na garganta
Porém nada contam, porque boneca de louça não fala
Só enfeita a cama sobre o cobertor.

As mãos se recolhem e permanecem estáticas
Quando a nudez no espelho arremeta
Com violência e calor de lava
O tropeço do pé no transvio da dança 
E o relexo de um amor, que enfim, acabou.

Tela de Charles Sims - (1873/1928)
Pintor Inglês

Terê Oliva
http://tereoliva.blogspot.com.br


Nenhum comentário: